Brasil pode entrar em acordo contra China e barrar 5G da Huawei

A guerra comercial entre Estados Unidos e China pode afetar o 5G no Brasil: o secretário do Itamaraty para Negociações Bilaterais e Regionais nas Américas, Pedro Costa e Silva, afirmou apoio ao programa americano Clean Network (rede limpa), que proíbe o uso de equipamentos chineses nas torres de quinta geração. Essa restrição afeta diretamente a Huawei; Claro, Oi, TIM e Vivo defendem a permanência da empresa no Brasil.

O apoio foi concedido em uma cerimônia com presença de Keith Krach, secretário de Crescimento Econômico, Energia e Meio Ambiente do Departamento de Estado dos EUA. O americano afirmou que o Brasil é o primeiro país da América Latina a respaldar os princípios do Clean Network.

De acordo com o Departamento de Estado dos EUA, o Clean Network é “um programa da administração Trump para proteger ativos norte-americanos (…) de invasões por atores malignos, como o Partido Comunista Chinês”.

O órgão ainda diz que a Huawei é um “braço de espionagem” do governo chinês. O programa possui outras linhas de banimento, como restrições de armazenamento de dados em serviços de nuvem de empresas chinesas, como Alibaba, Baidu, China Mobile, China Telecom e Tencent.

Recomendados para você