Brasil pode mobilizar 400 aviões contra 40 milhões de gafanhotos.

A nuvem de gafanhotos que avança pela Argentina está a 130 km em linha reta do município brasileiro de Barra do Quaraí, no oeste do Rio Grande do Sul, de acordo com o último levantamento do governo argentino, divulgado nesta quarta-feira (24).

A situação é complicada e pode afetar drasticamente as condições econômicas de ambos os países. Tanto o Brasil quanto Argentina têm uma boa parte de seu sistema econômico atrelado à agropecuária. O principal alvo dos gafanhotos são as plantações; uma nuvem pode ser capaz de destruir em um dia a quantidade de pasto equivalente a 2 mil vacas ou 350 mil pessoas, segundo a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

Para meteorologistas, a chegada do fenômeno ao Brasil vai depender da condição climática no Sul nos próximos dias. Segundo a Somar Meteorologia, a faixa Oeste do Rio Grande do Sul está em atenção, mas a chance de grandes estragos é baixa devido à mudança de tempo prevista para acontecer nos próximos dias.

Isso porque os insetos preferem tempos secos e quentes, e com a previsão de chuva entre esta quarta e quinta-feira, eles não devem chegar em grande número ao estado. “Se permanecermos com ventos de norte e tempo seco por mais dias, poderia chegar”, informa a Somar.

Recomendados para você