O pesadelo chinês está chegando para o dólar, diz Forbes

Nesta semana o governo de Pequim começou a testar a tão esperada moeda digital chinesa, o e-RMB – descrito pela Forbes como o pesadelo do dólar. Mas será que o Yuan digital consegue desafiar a supremacia do dólar?

A moeda digital chinesa não tem nada a ver com uma criptomoeda, é uma moeda digital centralizada, ou seja, bits sendo transferidos na mesma base de dados controlada por uma instituição.

Nada muito diferente do que aplicativos como WePay, PicPay fazem. Contudo, agora o Banco Central da China terá ainda mais poder.

“Embora haja pouca mudança na perspectiva do uso do usuário, na perspectiva da supervisão do banco central, nas formas futuras de finanças, pagamentos, negócios e governança social etc., essa é a maior coisa de todos os tempos.”, disse Xu Yuan professor da Universidade de Peking e envolvido no projeto do e-RMB

Isso significa que o governo chinês terá completo controle da emissão, transferência e uso da moeda digital ao apertar de um botão. E os chineses já começaram a testar a moeda neste mês de maio, ela está sendo usada no pagamento de funcionários públicos e já é aceita em alguns McDonald’s e Starbucks.

A decadência do dólar

Enquanto a China avança com sua moeda digital, o dólar perde território e desde 11/09/2001 vem perdendo a preferência como reserva global dos bancos centrais. O gráfico abaixo mostra a quantidade de reservas em dólar dos bancos centrais no mundo:

Segundo o SCMP, a porcentagem do Renminbi (moeda chinesa) em reservas globais cresceu 2%.

Para David Brown, chefe executivo da New View Economics, a moeda chinesa está longe de desbancar o dólar.

“Não chega nem perto do fim da regra do dólar. Mas se a China pretende romper o domínio dos EUA sobre o sistema monetário mundial, é hora de liberalizar e internacionalizar.”

Entretanto, com o e-RMB a China poderá internacionalizar mais rapidamente sua moeda e obrigar grandes parceiros comerciais a usá-la em exchanges em vez do dólar.

Facebook e moedas privadas:

Do lado norte-americano algumas empresas privadas começaram a desenvolver suas próprias moedas, é o caso do Facebook com a Libra. Contudo, a moeda digital da rede social foi esmagada pelo congresso dos Estados Unidos, que temia uma perda de poder para a iniciativa privada.

Atualmente, a Libra é apenas a digitalização de algumas moedas e um sistema de pagamento à Paypal.

“A grande batalha pela supremacia financeira global pode ser entre o yuan digital e o libra dollar do Facebook, uma versão digital do dólar americano”, disse o autor financeiro e veterano comercial Glen Goodman à Forbes.

Outras iniciativas surgiram como a criptomoeda do Telegram, mas até o momento o governo dos Estados Unidos não se deu muito bem com elas.

Será o começo do declínio do dólar? Deixe sua opinião nos comentários.

Recomendados para você