Setor turístico de Mato Grosso do Sul adota selo nacional “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”

O selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro” é um compromisso que o empreendimento assume, junto ao Ministério do Turismo (MTur), de adoção dos protocolos para a segurança dos turistas e de seus colaboradores. A responsabilidade será dividida com o turista, que também deverá seguir as orientações. O selo tem como objetivo auxiliar o setor de turismo brasileiro a retomar as suas atividades o mais breve possível e a atender aos pré-requisitos do novo perfil de turista, que surgirá com a pandemia do novo coronavírus.

Esses são alguns dos motivos para que a Fundação de Turismo de MS estimule o trade estadual a adotar o selo nacional. “A adoção do selo e dos protocolos de biossegurança e higienização, hoje são condições fundamentais para que o empreendimento opere. Nesse novo normal é necessário que todo mundo esteja preparado e se adeque às novas condições para a oferta de suas atividades. O selo Turismo Responsável congrega uma série de protocolos trabalhados por várias entidades e unifica a comunicação com o mercado. Mesmo que Mato Grosso do Sul já tenha saído na frente com iniciativas, principalmente, de Bonito, com o apoio do Sebrae e Sesi que desenvolveram protocolos individuais, é importante a adoção do selo do MTur como forma de comunicar isso aos turistas nacionais e depois internacionais. Por isso é importante que todos os empreendimentos façam a adoção do selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, argumenta Bruno Wendling, diretor-presidente da Fundação de Turismo e presidente do Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo (Fornatur).

A Fundação de Turismo trabalha para que o setor turístico sul-mato-grossense esteja preparado para receber os turistas, assim que os protocolos permitirem em cada destino do estado. Para Geancarlo Merighi, diretor de Desenvolvimento do Turismo e Mercado da Fundtur-MS, o Selo é uma iniciativa muito importante nesse momento em que os turistas precisam ter segurança e confiança para decidir a respeito de suas viagens e de quais equipamentos utilizar.

“O Ministério do Turismo lançou um painel de informações do Turismo Responsável, onde disponibilizou a todos os Estados o acesso às informações. Sabemos, em tempo real, como está a adesão dos empresários e prestadores de serviços turísticos ao Selo Turismo Responsável. Por isso, a Fundtur/MS tem a possibilidade de fazer a gestão, no sentido de sensibilizar e mobilizar o trade turístico sul-mato-grossense para aderirem a essa ferramenta e aos protocolos a serem seguidos e que foram elaborados com bastante seriedade, para que o setor tenha uma retomada gradual e eficaz”.

Até a divulgação do boletim do MTur, sobre os prestadores de serviços turísticos que já solicitaram a emissão do selo “Turismo Responsável – Limpo e Seguro”, Mato Grosso do Sul contava com 132 cadastros. Com a implementação do Selo os destinos se qualificam melhor, pois terão prestadores e empreendedores registrados seguindo protocolos de segurança sanitária, os empreendimentos e prestadores de serviços saem da ilegalidade, pois só podem adquirir o selo quem está com o Cadastur em dia, e todo o turismo brasileiro ganha com uma política pública integrada. Em todo o Brasil, já são mais de 11,4 mil pedidos de emissão.

Como solicitar o Selo

Para solicitar o selo, o interessado deve acessar o site www.turismo.gov.br/seloresponsavel, ler as orientações previstas no protocolo destinado ao segmento em que atua e estar com situação regular no Cadastur. Em caso positivo, ele adere à autodeclaração que atende aos pré-requisitos determinados e é encaminhado para uma área do site onde pode realizar o download do selo para impressão.

O selo, que é totalmente gratuito, deverá ser colado em local de fácil acesso ao cliente e conterá um QR Code pelo qual o turista poderá consultar as medidas adotadas por aquele empreendimento e/ou profissional. Além disso, possibilitará a realização de denúncias em caso de descumprimento, o que poderá resultar em revogação do selo.

Estão disponíveis protocolos para: Meios de Hospedagem; Agências de Turismo; Transportadoras Turísticas; Organizadoras de Eventos; Parques Temáticos; Acampamentos Turísticos; Restaurantes, Cafeterias, Bares e similares; Parques Temáticos Aquáticos; Locadoras de veículos para turistas e Guias de Turismo, entre outros.

Débora Bordin, Fundtur, com informações do MTur
Foto: Flávio André/MTur

Recomendados para você